Gastroenterites por Rotavírus

As doenças diarreicas agudas são de etiologia diversificada podendo ser causadas por bactéria, vírus ou enteroparasitas. As gastroenterites por Rotavírus são doenças infecciosas transmissíveis de origem viral.

O Rotavírus é considerado o mais importante agente etiológico da diarreia grave no mundo e a principal causa de morbimortalidade por diarreia em crianças menores de cinco anos nos países desenvolvidos ou em desenvolvimento.

rotavirus_

A sintomatologia da doença se caracteriza pela presença de diarreia, vômito e febre alta. A diarreia geralmente é profusa, podendo evoluir para a desidratação grave do tipo isotônica. Caso a reidratação não seja instituída de forma precoce e adequada poderá ocorrer o óbito. A ocorrência universal dos rotavírus é amplamente reconhecida. Praticamente, todas as crianças, aos cinco anos, já se infectaram. Em geral, a incidência das infecções sintomáticas assume maior expressão na faixa etária de 6 a 24 meses. Em contrapartida, prevalecem as formas inaparentes entre recém nascidos e lactentes até os 3-4 meses, provavelmente como decorrência da proteção conferida pelos anticorpos de origem materna.

O agente infeccioso é um RNA vírus da família dos Reoviridae, do gênero Rotavírus. São classificados sorologicamente em grupos, subgrupos e sorotipos. Até o momento sete grupos foram identificados: A, B, C, D, E, F e G. Apenas os grupos A, B e C infectam humanos.

O reservatório é o indivíduo infectado. A fonte de infecção é o homem doente.

Os Rotavírus são isolados em alta concentração em fezes de crianças infectadas e são transmitidos pela via fecal-oral, por contato pessoa a pessoa e também através de fômites.

O período de incubação varia de um a três dias, em média dois dias. A máxima excreção viral ocorre no 3º e 4º dia a partir dos primeiros sintomas, no entanto, podem ser detectados nas fezes de pacientes mesmo após a completa resolução da diarreia.

A suscetibilidade é universal.

A imunidade é adquirida por meio da doença ou pela administração da vacina oral contra o Rotavírus humano. Já a partir da primeira dose, a vacina mostrou eficácia na prevenção de doença por rotavírus. A vacina é especialmente eficaz na prevenção de doença por rotavírus da cepa G1, mas os estudos mostraram que houve proteção cruzada para gastrenterite e gastrenterite grave causada por outras cepas.

 

  • Bahia. Secretaria da Saúde. Superintendência de Vigilância e Proteção da Saúde. Diretoria de Vigilância Epidemiológica. Coordenação do Programa Estadual de Imunizações. Manual de procedimento para vacinação. Salvador: DIVEP, 2011.

Deixe uma resposta