Vacina Febre Amarela – FA (atenuada)

COMPOSIÇÃO

Vírus vivo atenuado.

APRESENTAÇÃO

Forma liofilizada, em frascos multi-doses.

ESQUEMA
  • Administrar 1 (uma) dose a partir dos 9 (nove) meses de idade. 
  • Administrar 1 (uma) dose a cada dez anos.
  • Indicada para residentes ou viajantes para áreas com recomendação da vacina - ACRV (pelo menos 10 dias anteriores da data da viagem): todos os estados das regiões Norte e Centro Oeste; Minas Gerais e Maranhão; alguns municípios dos estados do Piauí, Bahia, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Indicada também para pessoas que se deslocam para países em situação epidemiológica de risco.

 

CONTRAINDICAÇÃO

Quem não pode tomar a vacina?

  • Crianças menores de 9 meses;
  • Gestantes;
  • Imunodeprimidos (pessoas com o sistema imunológico debilitado, transitória ou permanentemente, debilitado) e pessoas alérgicas a gema de ovo.
  • Pessoas com imunodepressão (sistema imunológico debilitado) transitória ou permanente, induzida por doenças (neoplasias, infecção pelo HIV com comprometimento da imunidade) ou pelo tratamento (drogas imunossupressoras acima de 2 mg/kg/dia por mais de duas semanas, radioterapia etc);
  • Pessoas com reações alérgicas relacionadas a ovo de galinha e seus derivados;
  • Pessoas com reações alérgicas, após dose anterior, relacionadas a outras substâncias presentes na vacina (antibióticos: canamicina, eritromicina e/ou gelatina bovina hidrolisada);
  • Indivíduos com doenças autoimunes, doenças neurológicas ou outros problemas de saúde crônicos deverão avaliar com o médico que o acompanha, considerando a evolução clínica, os antecedentes vacinais e o risco da febre amarela na área.

Precaução

1) Nos casos de doenças agudas febris moderadas ou graves, recomenda-se adiar a vacinação até a resolução do quadro com o intuito de não se atribuir à vacina um agravamento da doença;

2) Indivíduos soropositivos para HIV devem ter sua vacinação avaliada levando-se em conta sua contagem de CD 4 e carga viral;

3) A vacinação em pessoas com mais de 60 anos está indicada, desde que observada a relação de custo benefício uma vez que nesta faixa etária pode ser observada uma maior ocorrência de eventos adversos.

Pessoas com história de reação anafilática após a ingestão de ovo.

CONSERVAÇÃO

Entre +2°C e +8°C.

DOSE E VOLUME

0,5 ml      - 1 dose a partir dos 9 meses de idade.

-1 reforço a cada 10 anos.

VIA DE ADMINISTRAÇÃO

SC (subcutânea). De preferência na região do deltoide (face ântero-lateral externa do braço).

RECONSTITUIÇÃO E ADMINISTRAÇÃO
  • Aspirar 1 ml do diluente e injetar no frasco da vacina para reidratá-la.
  • Aspirar a vacina reidratada e injetá-la no frasco do diluente.
  • O frasco multi-doses da vacina contra Febre Amarela pode ser utilizado até, no máximo, 4 horas após reconstituição, desde que mantido, preferencialmente em temperatura de +2°C e adotados os cuidados quanto à contaminação.
  • A vacina reconstituída não deve ser utilizada quando permanecer em temperatura acima de +8°C.
  • Para conservação da vacina reconstituída na temperatura indicada, utilizar caixa térmica de 7 litros, com gelo reciclável circundando todos os lados da vacina, fazendo o controle da temperatura com termômetro de cabo extensor.

 

ORIENTAÇÕES IMPORTANTES
Viajantes
Viagens Nacionais

A administração da vacina dever ser realizada no mínimo 10 dias antes da viagem para considerar imunizado (primo-vacinado).

Os anticorpos protetores aparecem entre o 7º e 10º dia após a aplicação, razão pela qual a imunização deve ocorrer 10 dias antes de se ingressar em Áreas Com Recomendação da Vacina – ACRV. (Mapa ACRV e ASRV) 

Uma só dose confere imunidade por um período mínimo de 10 anos, a vacina exige reforço de 10 em 10 anos, em caso de deslocamento para ACRV após 10 anos de vacinado o viajante deve ser revacinado tendo assim proteção imediata.

Outras medidas de proteção individual: usar sempre que possível calças, camisa de manga longa e repelentes para inseto.

Viagens Internacionais

O Brasil não exige o Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia para entrada no país.

Os viajantes com destino ao Brasil, não vacinados ou vacinados há mais de 10 anos para febre amarela, recomendam-se vacinação para a população com destino às áreas de mata com recomendação de vacina.

Aos viajantes com destino a outros países, a exigência do Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia seguirá as recomendações da Organização Mundial da Saúde, conforme estabelecido no Regulamento Sanitário Internacional 2005.

Clique aqui para acessar a Lista de Centros de Orientação para a Saúde do Viajante.

Isenção de Vacinação

Para casos em que a vacinação ou a profilaxia for contraindicada, deverá ser emitido o Atestado ou Certificado de Isenção de Vacinação e Profilaxia.

Clique aqui para acessar o Modelo do Formulário Isenção de Vacinação e Profilaxia.

A emissão deste certificado pode ser realizada por um profissional médico ou por um Centro de Orientação ao Viajante. Quando emitido por profissional médico dever ser utilizado o modelo  de atestado médico específico, observando-se:

I. Preenchimento completo e de forma legível dos dados;

II. Identificação do profissional médico e do local onde for efetuado o atendimento;

III. Parecer médico de contraindicação de vacinação ou profilaxia.

 

Referências: